LinkedIn + Portfolio: Encontrando o ponto de equilíbrio

Obtenha o máximo de seu posicionamento como UX/UI Designer

Photo by Greg Bulla on Unsplash

Introdução

LinkedIn, a “feira” de profissionais

Ao contrário do que muitos pensam, o conceito dessa rede social é conectar pessoas para gerar negócios, e não apenas ser um lugar para você dizer ao mundo sobre sua carreira profissional. Há quem diga que a usabilidade do LinkedIn é horrível, e que “as regras do jogo” para usá-lo bem são ruins e ineficazes. Mesmo assim, a amplitude de visibilidade que ele oferece a seu perfil é gigantesca, e muitas vezes, subestimada. Da mesma forma que o Facebook, Twitter e Instagram, você pode ser visto por qualquer pessoa do mundo — Mas a diferença do LinkedIn é que as pessoas tem um motivo genuíno para querer falar com você, com uma finalidade muito clara. Quando o assunto é trabalho, é o lugar certo para buscar pessoas.

Diferente das outras redes sociais, as pessoas não o usam para rir com memes, debater opiniões políticas, colocar cultura inútil, dizer o que estão fazendo nesse exato momento ou mesmo seu estado emocional. É o lugar onde frequentam para estabelecer conexões frutíferas, se desenvolver, permanecer sempre bem informadas sobre temas relevantes, e principalmente, se posicionar como profissionais, cultivando sua imagem. Ou seja, se você não quiser investir seu screen time em futilidades, o LinkedIn é sem dúvida a rede social certa para frequentar.

O ponto de equilíbrio

Para avaliar um profissional, recrutadores idealmente fazem uso da dupla LinkedIn + Portfolio. A expectativa deles é encontrar no LinkedIn um detalhamento completo sobre sua qualificação e trajetória profissional, e no Portfolio, a demonstração de sua capacidade técnica e experiência. Esse equilíbrio precisa existir, e trabalhar a seu favor. Em vias diretas, para UX/UI Designers:

“No LinkedIn você alega, no Portfolio você prova.”

Como já foi dito em artigos anteriores, o avaliador tem o benefício da dúvida: Ele pode questionar cada palavra alegada no LinkedIn. Para isso, o Portfolio vem para comprovar o que foi dito, dando segurança à veracidade das informações. Por esse motivo, essa dupla precisa dar as mãos e trabalhar junto de forma complementar, ao invés de voarem solo e gerarem confusão no avaliador com informações faltantes, desalinhadas ou duplicadas. Na prática, o que regularmente encontramos é uma informação incongruente nesses dois lugares — O profissional é muito atraente no LinkedIn, mas quando vamos ao Portfolio, parecem duas pessoas completamente diferentes. E claro, isso acontece também ao contrário.

Redesenhando seu perfil

Vamos então rapidamente decompor seu perfil, passando por cada seção que requer sua atenção e precisa estar preenchida. Veja a imagem abaixo como modelo, e acompanhe sua respectiva numeração:

1. Início (home)

Foto — Você precisa estar apresentável, como se estivesse pessoalmente em uma entrevista. Evite trajes inapropriados e expressão negativa.

Imagem de fundo— Escolha uma imagem que represente seu universo atual e que mostre no quê você acredita, enfatizando seu lado profissional. Evite fotos com seu pet, paisagens ou mesmo não colocar nenhuma imagem, o que passa a impressão de desleixo.

Cargo e/ou especialidade — É o momento de dizer sua função atual, o que você faz de interessante, seu papel para o crescimento do setor, e mais. Evite frases como “disponível para trabalhar” ou “buscando novas oportunidades”, porque ao usar esses jargões, soa como se você estivesse apresentando um problema para o visitante resolver.

2. Destaques

3. Sobre

4. Em Destaque (Featured)

5. Atividades

6. Experiência

7. Formação Acadêmica

8. Competências

9. Recomendações

10. Conquistas

Mãos à obra?

From Giphy

Enquanto a oportunidade não chega

Seja mais presente — Crie e compartilhe posts, entre em conversas, discuta pontos levantados de forma agregadora.

Expanda seu network — Aproveite as recomendações do LinkedIn e adicione constantemente pessoas interessantes para seguir, e se possível, se conectar.

Desenvolva-se — Aproveite para fazer cursos, assistir lives, ler livros e ir a eventos para se aprofundar em sua área de preferência. Participar de desafios e hackatons também é recomendado.

Faça projetos (abonados ou pagos) — Encontre órgãos sociais ou empresas em alta necessidade para apoiar e contribuir com seu trabalho.

Compartilhe seus conhecimentos — Se você é um profissional experiente, ofereça palestras em faculdades, cursos rápidos e bootcamps; grave vídeos contando sua experiência, participe de lives como convidado, escreva artigos, e mais.

Conclusão

A community for Digital Product Designers to present themselves effectively and have access to curated content, mentorship and worldwide project opportunities.

A community for Digital Product Designers to present themselves effectively and have access to curated content, mentorship and worldwide project opportunities.