UX Designer freelancer ou UX Designer funcionário?

Como diferentes formatos de contratação influenciam sua carreira profissional

Photo by ConvertKit on Unsplash

Introdução

Trabalho pra mim VS. trabalho pra alguém

O conceito comum de um freelancer é o profissional independente que trabalha para si mesmo, chamado apenas quando extremamente necessário ou em casos urgentes e curtos para executar tarefas não tão complexas. Mas na realidade do universo de UX Design, é muito improvável existirem projetos pontuais pequenos o bastante para serem feitos em poucas horas por alguém terceirizado (como um Designer criaria um post para mídias sociais). Essa disciplina, mesmo que o projeto seja a resolução de um desafio simples e pontual, requer aprofundamento e envolvimento maiores, resultando em um período de atuação mais longo no projeto. E além disso, e empresas consideram esse formato plenamente viável para projetos de médio prazo, ou até mesmo para testar a qualidade e adaptação do profissional antes de oficialmente contratá-lo.

Com isso, se compararmos friamente um UX Designer freelancer a um UX Designer funcionário, a pergunta que se coloca na verdade é: Para quem trabalham? Você pode pensar que um freelancer trabalha pra si mesmo, enquanto um funcionário trabalha pra alguém; Mas pense que ambos têm uma pessoa de quem recebem demandas, prestam contas e são pagos de acordo com seu tempo, habilidades e experiência. A diferença entre esses formatos não está na essência do trabalho, mas nas características da sua relação com o contratante — como potencial de ganho, tempo de disponibilidade, e mais.

Os caminhos do freelancer

Como nessa altura eu já estava prestes a me casar, o desespero foi imediato, mas aquelas palavras me motivaram a entender meu valor profissional e a buscar meu destino. Foi o empurrão que eu precisava: Comecei então como freelancer e executei projetos que me levaram a construir minha primeira carteira de clientes, até que abri meu estúdio de Design. Ironicamente, 10 anos depois em outra terça-feira qualquer, eu estava em um café esperando um cliente chegar e esbarrei com minha ex-diretora. Dei-lhe então um abraço e a agradeci pelo empurrão, cujos frutos estava colhendo.

Alguns profissionais que freelam eventualmente desenvolvem seus negócios e se tornam empresários, outros permanecem trabalhando sozinhos, outros são contratados e permanecem freelando, e outros são contratados e deixam de freelar. Conheço excelentes designers que atuam em cada um desses formatos, e mesmo com as diferenças de perfil profissional, estão satisfeitos em suas carreiras e gerando bons resultados em ganhos. No final do dia, é a leitura de como você vê o seu trabalho que importa.

Qual me rende mais?

UX Designer freelancer

Logo, considere que por mais que esse formato possa possibilitar ganhos maiores, são ganhos imediatos — então é realmente necessário que você seja uma pessoa financeiramente organizada e moderada o suficiente para provisionar aos gaps sem trabalho, e que também tenha iniciativa para pensar no longo prazo, contribuindo com sua própria previdência.

UX Designer funcionário

Assim, financeiramente esse formato já te coloca na condição de ser conduzido pela estrutura tributária tradicional, onde paga-se muito e retém-se menos em troca de benefícios.

A (falsa) estabilidade

Conclusão

A community for Digital Product Designers to present themselves effectively and have access to curated content, mentorship and worldwide project opportunities.

A community for Digital Product Designers to present themselves effectively and have access to curated content, mentorship and worldwide project opportunities.